Julho de 2019 é o mais chuvoso em 10 anos no Sistema Cantareira

em 31/07/2019 - Por Redacao

O Sistema Cantareira está com volume útil em torno de 50%, cenário bastante diferente de 2018, quando na mesma data, o volume útil era de 31%.

Passado um pouco mais de um mês desde o início da estação de inverno, conhecida também como período seco em grande parte do Brasil, o sistema de abastecimento de água da Região Metropolitana de São Paulo, o Sistema Cantareira, ainda registra um volume útil médio em torno dos 50%. Cenário este diferente do ano anterior, em 2018, quando na mesma data o sistema registrava um valor médio em torno dos 31%.

O início do mês de julho foi marcado por muita chuva no Sistema Cantareira com 86,4 mm. Este valor representa um percentual de 76,2% acima de sua climatologia que é de 48,7 mm. Em três dias, a chuva forte fez com que os 54,8% armazenados no dia 04 de julho subissem para 56,1% no dia 06 de julho.

Quando o volume de água do Cantareira é igual ou maior que 60%, isso caracteriza um nível normal pela Sabesp, onde a captação de água é de 33 metros cúbicos por segundo, ou 33 mil litros por segundo. Se o volume ficar entre 40% e 59%, como estamos agora, o reservatório entra na faixa de atenção, onde a captação de água passa para os 31 metros cúbicos por segundo. 

Sistema Cantareira

O que aconteceu diferente neste ano?

No início do ano passado, o Oceano Pacífico Equatorial estava em uma fase fria, configurado em La Niña, e os episódios de chuva mais volumosos sobre a Região Sudeste começaram a enfraquecer já no mês de abril.

Já no início desse ano, com o Oceano Pacífico na fase quente e configurado como um El Niño de fraca intensidade, em abril, maio e início de junho, a chuva ficou mais concentrada no Centro-Sul e, por vezes, com episódios volumosos sobre o Sistema Cantareira.

Dessa forma, o início do período seco de 2019 apresentou um regime de chuva mais favorável ao aumento do volume útil dos reservatórios e, por conta disso, atualmente, estamos em um nível relativamente confortável ao abastecimento, ou seja, sem risco para um racionamento.

Tempo segue seco em agosto

Porém, apesar dos números serem melhores que cenários anteriores, ainda devemos ficar atentos ao consumo racional de água. Segundo as previsões meteorológicas da Somar Meteorologia, o mês de agosto segue com um grande intervalo de tempo seco na região do Sistema.

A condição atmosférica de alternâncias de configuração e ausência de bloqueios atmosféricos no Oceano Pacífico Sul, além de um resfriamento da Região Leste do Oceano Pacífico equatorial, conhecido como Niño 1+2, retém as frentes frias mais ao sul do país.

Dessa forma, poucas frentes frias conseguem se deslocar até a Região Sudeste e provocar chuva significativa sobre o Sistema. Portanto, a tendência para o próximo mês ainda é de drenagem e diminuição do volume útil do mesmo.

Chuva retorna em setembro 

A chuva volumosa deve retornar à região apenas a partir de setembro, quando ocorre o início da estação de primavera e a condição tropical volta a se instalar sobre o interior do país de forma gradativa.

 

Veja agora a previsão do tempo em sua cidade!

Categorias desse post:

Palavras chave desse post: