Desmatamento da Amazônia atinge pior marca em 10 anos

em 30/11/2018 - Por Redacao

A área total devastada na Amazônia atingiu 7.900 km², o que equivale a mais de cinco vezes o tamanho da capital de São Paulo.

O Presidente Michel Temer encerra seu ciclo com um aumento expressivo nos índices de desmatamento da Amazônia registrando o pior volume de devastação em 10 anos.

Dados oficiais do governo apontam um aumento de 13,7% no desmate da região amazônica entre agosto de 2017 a julho de 2018.

Ao todo, a remoção total da vegetação (corte raso) na Amazônia atingiu 7.900 km², o que equivale a mais de cinco vezes a capital de São Paulo.

A taxa preliminar foi obtida pelo Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal por Satélite (PRODES), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Ela é criada por meio de imagens de satélite que registram e quantificam as áreas desmatadas maiores que 6,25 hectares. O levantamento usa apenas dados de quando há remoção completa da cobertura florestal por corte raso.

O Observatório do Clima avalia que essa alta na taxa de desmatamento não é surpreendente, e “acontece apesar dos esforços do Ministério do Meio Ambiente de intensificar o combate aos crimes ambientais na Amazônia.

Possíveis causas

Na avaliação do Ministério do Meio Ambiente, o desmatamento tem alguns principais motivos: A mudança no cenário político, câmbio favorável ao agronegócio, um período de seca maior do que a média, e o grande aumento no número de queimadas.

Estados com maior área desmatada

Os Estados que apresentaram os valores mais elevados de desmatamento foram Pará (35,9% do total), Mato Grosso (22,1%), Rondônia (16,7%) e Amazonas (13,2).

Categorias desse post: