Volume total do Cantareira supera os 90%

Índice compreende a soma do volume original com o volume morto. Sem a reserva técnica, volume é 30% menor

O Cantareira começou bem o ano de 2017 e encerrou janeiro com um volume de chuva 50% acima do esperado. Foram 393,1mm ante a média do mês que é de 262,6mm. Apesar da diminuição das chuvas prevista para fevereiro, o reservatório ainda recebeu precipitações significativas na primeira semana do mês, o que levou o nível total do manancial a atingir 90% de sua capacidade.

Cantareira

Volume total do Cantareira supera os 90%/ Fonte: Banco de imagens da Somar Meteorologia

De acordo com os dados da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), o Cantareira opera nesta quinta-feira (16) com 91,7%. Apesar da chuva que ocorreu nos arredores das bacias hidrográficas no início de fevereiro, a primeira quinzena do mês foi encerrada com o armazenamento de apenas um quarto dos 203mm esperados neste mês, isto porque a chuva se manteve concentrada no norte do Sudeste durante a última semana.

Apesar do volume divulgado ser consideravelmente otimista, vale ressaltar que o valor engloba os dois índices do volume morto desde o início de 2015. Sem as cotas das reservas técnicas, o volume estaria na marca dos 62,4%, quase 30% a menos.

Segundo a previsão da Somar Meteorologia, as instabilidades devem voltar a se espalhar pelo Sudeste durante a segunda quinzena de fevereiro, e atingem inclusive a região do Sistema Cantareira, mas com volumes bem menos significativos comparados aos de janeiro.

“Além disso, as chuvas devem se alternar com períodos mais prolongados de tempo firme, o que pode prejudicar a manutenção da reposição de água do reservatório”, comenta o meteorologista da Somar, Celso Oliveira.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

 

Qual é a expectativa para o setor elétrico no verão?

Meteorologia confirma fim do La Niña