Tempo firme no Sudeste dificulta elevação do nível do Cantareira

Nível do reservatório ainda é estável, mas registra queda desde o fim de julho

Segundo dados da SABESP (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), o sistema Cantareira registra 0,8 mm de volume de chuva nesta segunda semana de julho. A média do mês é de 48,7 mm.

Principal reservatório do Estado paulista diminui o nível desde julho / Fonte: Banco de Imagens da Somar Meteorologia

Principal reservatório do Estado paulista diminui o nível desde julho / Fonte: Banco de Imagens da Somar Meteorologia

Nesta quarta-feira (12), o manancial opera com 65,6% de sua capacidade, o que demonstra decréscimo no percentual em relação à primeira semana, que fechou com 66,1%. O mês de julho encerrou com um índice de 67%.

Os demais reservatórios também registraram redução do nível desde o início do mês, com exceção do Alto Cotia que ainda opera com 99,5%.

O inverno é uma estação típica de período seco para a região e, apesar disso, os reservatórios possuem acumulados para a época sem chuvas. Além disso, as temperaturas amenas e o menor consumo devem evitar a perda de água.

Chuvas no Sudeste

De acordo com a Somar Meteorologia, um bloqueio atmosférico tem inibido a formação de nuvens carregadas no interior do país e garantido o tempo estável. Nesta quarta, uma frente fria no oceano reduz as temperaturas da região Sudeste, mas não provoca chuvas. O tempo firme com amplitude térmica continua até a sexta-feira (14).

De acordo com o meteorologista Celso Oliveira, na próxima semana uma frente fria estacionada em Santa Catarina traz frio e chuvas fracas para o Estado paulista, mas sem volumes significativos para os mananciais. “A atividade chuvosa do sistema é mais forte na altura do Estado catarinense”, comenta.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

 

Quando o frio volta para o Rio Grande do Sul?

Frio se intensifica na capital paulista a partir de quarta (12)