" }
Meteorologia confirma fim do La Niña

Primeiro semestre de 2017 será de neutralidade no Pacífico Equatorial, segundo a NOAA

O fenômeno La Niña, que é o resfriamento das águas do Pacífico Equatorial, chegou ao fim. Segundo o último boletim da NOAA (Agência Americana de Meteorologia e Oceanografia) divulgado no dia 09 de fevereiro, o oceano apresenta atualmente uma condição de neutralidade que deverá continuar até o fim do primeiro semestre de 2017.

Condição registrada em janeiro de 2017 / Fonte: NOAA

Condição registrada em janeiro de 2017 / Fonte: NOAA

“O Pacífico é muito grande e tem quatro áreas de estudo. A área central que determina os efeitos atmosféricos registrou pela primeira vez desde junho de 2016 um desvio praticamente nulo na última semana, de +0,1ºC”, explica o meteorologista Celso Oliveira.

Além disso, as simulações da NOAA e do IRI (Instituto Internacional de Pesquisas) da Universidade de Columbia indicam que o Oceano Pacífico continuará esquentando nos próximos meses, embora mantenha a neutralidade. “Algumas simulações até apontam a possibilidade de um novo El Niño, mas o Instituto Australiano de Meteorologia lembra que a precisão da previsão durante o outono é mais baixa e com isso, ainda é cedo para afirmar o que acontecerá no segundo semestre deste ano”, ressalta Oliveira.

 

Como fica o tempo no Brasil?

De acordo com a Somar Meteorologia, o padrão de neutralidade não indica necessariamente chuva e temperatura dentro da média nos próximos meses. Os sistemas de curto prazo e com menor escala podem influenciar diretamente no clima brasileiro.

“A expectativa é de que a chuva continue intensa sobre a região Norte, o norte do Nordeste e norte de Mato Grosso, enquanto no Sul e Sudeste, as precipitações se mantêm, mas com uma quantidade bem menor e mais períodos de oscilação”, finaliza o profissional.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

 

 

Como é medida a velocidade do vento?

Qual é a expectativa para o setor elétrico durante o verão?