Como o La Niña influencia o tempo em 2018?

Entenda como o La Niña pode impactar nos primeiros meses do ano que está para começar

A atmosfera apresenta condições de La Niña desde a primavera, e de acordo com a NOAA (Agência Americana de Meteorologia e Oceanografia) o fenômeno caracterizado pelo resfriamento anormal das águas do Oceano Pacífico deve continuar atuando com fraca intensidade pelo menos até meados de março de 2018.

ezgif.com-optimize

Desenvolvimento do La Niña durante o segundo semestre de 2017/ Fonte: NOAA

Segundo o meteorologista Celso Oliveira, da Somar Meteorologia, apesar da configuração do La Niña, apenas a região Norte deve apresentar características típicas do fenômeno que deve atuar até o final do verão. “As instabilidades da Amazônia ganham força e a tendência é de que as chuvas fiquem acima da média principalmente ao longo de fevereiro”, afirma.

No Nordeste, o fenômeno normalmente implica no aumento das chuvas, que costumam ficar acima da média em anos de La Niña. “No entanto, o clima da região também é muito dependente da temperatura do Oceano Atlântico que está mais frio que o normal. Com isso, as chuvas ainda devem acontecer com maior frequência em comparação ao último ano, quando a maior parte do Nordeste passou por um período de seca excepcional, porém, as precipitações ocorrem com volumes abaixo da média”, explica Oliveira.

Na região central do país, o fenômeno deve garantir chuvas dentro ou até mesmo acima da média em alguns municípios, com maiores acumulados em fevereiro, tanto no Sudeste quanto no Centro-Oeste. “Já na região Sul, as precipitações até ficam dentro do esperado, porém, os episódios de chuva intensa ocorrem intercalados com longos períodos de tempo seco, inclusive com estiagens pontuais em algumas áreas do Rio Grande do Sul”, comenta o profissional.

Em relação às temperaturas, o meteorologista destaca calor acima da média no início do ano em grande parte do Estado gaúcho, oeste do Paraná e de Santa Catarina e em Mato Grosso do Sul, além de Roraima, enquanto o restante do país conta com temperaturas próximas da média e alternância entre o calorão e temperaturas mais amenas.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

Cantareira termina 2017 com 40% do volume útil

Retorno da chuva beneficia lavouras no Rio Grande do Sul