Cantareira termina 2017 com 40% do volume útil

Índice representa a maior queda no volume do reservatório desde o fim do volume morto na virada de 2015 para 2016

A menos de uma semana para o fim de dezembro, o acumulado de chuva do mês no Cantareira não chega a 50% do esperado. Foram 92,8mm recebidos até o Natal ante a média de 219mm. De acordo com os dados da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) o reservatório opera com níveis em torno dos 40% atualmente. É o menor índice desde outubro de 2016, quando o volume chegou a 42%.

shutterstock_20015140

Volume do Cantareira segue em queda/ Fonte: Banco de imagens da Somar Meteorologia

Desde que o nível do Cantareira saiu do volume morto, na virada de 2015 para 2016, o volume do reservatório chegou a ficar acima dos 46% em junho, antes de cair para 42% no fim de 2016. Com chuvas mais frequentes no período úmido, que compreende principalmente os meses de primavera e verão na região, o manancial voltou a chegar aos 46% ainda no mês de janeiro de 2017 e terminou o período úmido com 68%, em meados de maio.

Apesar do aumento considerável, o volume voltou a despencar nos últimos meses e chegou aos 41% na última semana. De acordo com a Somar Meteorologia, a previsão é de chuva até o final de dezembro na região metropolitana de São Paulo. “Ainda assim, o acumulado de chuva armazenado deve ficar abaixo da média do mês”, afirma o meteorologista da Somar, Celso Oliveira.

Segundo o profissional, a expectativa é de que 2018 comece com chuvas dentro ou até mesmo um pouco acima da média na maior parte do Sudeste por conta da influência de um La Niña de fraca intensidade, fenômeno é caracterizado pelo resfriamento anormal das águas do oceano Pacífico, o que deve contribuir com a recuperação ou pelo menos com a manutenção do nível do reservatório.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

Vai ter calorão neste verão?