Retorno da chuva beneficia lavouras no Rio Grande do Sul

Precipitações favorecem culturas na maior parte do país, mas chuva ainda é insuficiente para recuperar plantações de arroz no oeste do Estado gaúcho

A chuva se espalhou pelo país na segunda quinzena de dezembro e o ano termina com lavouras de soja em desenvolvimento dentro do esperado no Mato Grosso e Paraná. No MATOPIBA, área que compreende os Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, precipitações fora de época também beneficiam os agricultores, mas o destaque fica por conta da região Sul, onde o retorno das chuvas alivia as lavouras que começavam a ser prejudicadas por estiagens pontuais no Rio Grande do Sul.

14933579377_792eb4a9b8_c visual hunt

Chuvas beneficiam lavouras na maior parte do país/ Fonte: Visual Hunt

 

Segundo o meteorologista da Somar, Celso Oliveira, as frentes frias que voltaram a avançar sobre a região Sul na última semana devem continuar até a virada do ano e favorecem as últimas etapas de desenvolvimento da soja e do milho no Estado gaúcho. “Ainda assim, culturas como o arroz, cultivadas principalmente no oeste da região, ainda são prejudicadas pelas estiagens pontuais que ocorreram na região no final da primavera, uma vez que os sistemas passam muito rapidamente sobre o Estado e as precipitações são insuficientes para recuperar os reservatórios utilizados na irrigação das plantações”, explica.

Já na região central do país, a Alta da Bolívia, fenômeno que provoca temporais no Centro-Norte durante os meses de primavera e verão, é potencializada por áreas de instabilidade que se formam principalmente entre Paraguai e Argentina e beneficiam as áreas agrícolas.

No MATOPIBA, os ventos nas bordas de um VCAN (Vórtice Ciclônico de Altos Níveis), que avançou no sentido do Tocantins no feriado do Natal, favoreceram a formação de nuvens carregadas que beneficiaram as lavouras no sertão nordestino. “O sistema já se dissipou, mas chuvas como esta ainda devem acontecer com mais frequência no início de 2018”, comenta Oliveira.

 

AGROSOMAR

No AGROSOMAR, plataforma online destinada ao agronegócio, o agricultor tem as previsões de curto e longo prazo, além de conferir a tendência das próximas três estações e poder compará-las com as informações dos últimos nove meses.

Dentro da ferramenta, o produtor também obtém informações das culturas de seu interesse  e pode fazer o acompanhamento da sua lavoura com a funcionalidade de gerenciamento de safra que permite inserir informações como data de plantio, produtividade potencial e tipo de solo.

Os assinantes do Agrosomar também contam com o calendário fitossanitário, que sinaliza risco de doenças para culturas e com a função de precipitação acumulativa, que permite ver o acumulado de chuva desde a data do plantio até a data  atual.

E ainda tem a penalização de produtividade, que possibilita ao agricultor saber quanto o clima está impactando na produção da sua safra.

 

Para saber mais acesse www.agrosomar.com.br.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

Norte: Manaus tem o segundo dezembro mais chuvoso em 56 anos

Sul: Santa Catarina e Paraná terminam o ano com temporais

Cantareira termina 2017 com 40% do volume útil