Frio afeta a maturação do algodão no Centro-Oeste

Temperaturas baixas atrasam desenvolvimento do algodão, mas não devem prejudicar a produção

O frio dos últimos dias preocupou os produtores de algodão. Isto porque as baixas temperaturas, provocadas pela passagem de uma massa de ar frio no início da semana, acarretou na paralisação dos trabalhos de campo em algumas lavouras do Centro-Oeste.

SONY DSC

Frio afeta o algodão no Centro-Oeste/ Fonte: Banco de imagens da Somar Meteorologia

“Alguns produtos químicos que são aplicados durante a fase de maturação do algodão podem ter seu efeito alterado por conta das baixas temperaturas, por isso é preciso pausar o trabalho, o que consequentemente pode atrasar toda a produção”, explica o meteorologista Celso Oliveira, da Somar Meteorologia.

Mas de acordo com o profissional, o frio é de curta duração, e a partir desta quinta-feira (22), o tempo firme já deve fazer com que a massa de ar polar perca força em todo o Centro-Sul. “As temperaturas voltam a se elevar principalmente no interior do país, beneficiando a maturação e o desenvolvimento da pluma do algodão”.

Além disso, o frio intenso não deve voltar tão cedo. O tempo firme predomina até o final de junho, e a amplitude térmica é que deve ganhar destaque. As manhãs ainda começam com baixas temperaturas principalmente no Mato Grosso do Sul, mas sem extremos, enquanto o período da tarde é marcado pelo calor, com máximas de até 33ºC no Mato Grosso e entre os 25ºC e 30ºC na maior parte do Mato Grosso do Sul e Goiás.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

Como será o inverno sem o El Niño

Tempo firme marca a semana no Centro-Oeste