Falta de chuva atrasa plantio da soja no Paraná

Precipitações voltam a atingir parte do Estado com a chegada da primavera, mas chuva só volta a ocorrer de forma regularizada a partir de outubro

A atuação de um bloqueio atmosférico impede a passagem das chuvas rumo ao interior do país desde meados do inverno e as precipitações ficaram estacionadas entre Rio Grande do Sul e Santa Catarina, enquanto no Estado do Paraná, áreas produtoras chegam a 30 dias sem registros de chuva.

DSC_5013

Falta das chuvas afeta plantio no Paraná/ Fonte: Banco de imagens da Somar Meteorologia

Com o tempo seco, a umidade do solo caiu drasticamente e está abaixo dos 40% no norte do Estado. Apesar de o vazio sanitário ter chegado ao fim em 10 de setembro, isso fez com que ocorresse um atraso no plantio em relação a ultima safra de verão. “No mesmo período em 2016, os produtores de milho do Paraná já tinham plantado 34% das áreas estimadas, enquanto neste ano, até o início desta semana apenas 12% das áreas haviam sido semeadas”, informa o agrometeorologista Leandro Calve, da Somar Meteorologia.

De acordo com o profissional, esta situação pode impactar no atraso da colheita e até mesmo no orçamento dos produtores que podem ter de recorrer ao replantio. “Na região de Campo Mourão, por exemplo, alguns agricultores plantaram com o solo ainda seco na expectativa de que a chuva chegasse a tempo. Porém com o elevado déficit hídrico registrado na região, a germinação não ocorreu uniformemente e muitas áreas podem acabar sendo perdidas”.

Apesar disto, a previsão da Somar indica o retorno das chuvas para parte do Paraná ainda nesta sexta-feira (22), com a chegada da primavera. “A estação já deve começar com pancadas isoladas no oeste do Estado que ajudam a aliviar a secura do solo”, afirma o meteorologista Celso Oliveira.

Já nas demais áreas, as precipitações voltam a acontecer de forma regularizada a partir de outubro, com acumulados significativos já na primeira semana do mês. “Isso deve trazer um alívio para o produtor que apesar de ter atrasado o plantio, não deve registrar grandes perdas, uma vez que a chuva volta a ocorrer de forma abrangente e bem distribuída por todo o Estado”, finaliza Oliveira.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

NOAA aponta 60% de chance de La Niña até o fim do ano

Como será a primavera?