Chuvas prejudicam colheita da cana-de-açúcar

São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Goiás devem ter diminuição dos valores de cana colhida e processada na primeira quinzena do mês

As pancadas de chuvas das últimas duas semanas têm prejudicado a colheita da cana-de-açúcar nas áreas produtoras de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Goiás.

Cana de açúcar

Foto: Banco de Imagem Somar Meteorologia

Os dados divulgados pela UNICA (União da Indústria de Cana de Açúcar) mostram que os valores de área colhida e a quantidade de cana processada até o dia 15 de outubro estão semelhantes ao mesmo período do ano passado com mais de 480 milhões de toneladas, porém, os teores de ATR (Açúcar Total Recuperável) estão abaixo aos de 2014 deixando a produção total de açúcar inferior em 7,65%.

De acordo com a Somar Meteorologia, a primeira quinzena de novembro deve ter uma diminuição dos valores de cana colhida e processada, já que a previsão é de mais chuva nos próximos dias. “O excesso de umidade também tem prejudicado a concentração de açúcares na planta reduzindo o ATR e, consequentemente, a produção de açúcar e etanol”, comenta o agrometeorologista Marco Antonio dos Santos.

Além disso, o preço do combustível deve aumentar por causa da atual situação econômica do país, mesmo com uma produção maior de etanol em 1,3% e com o andamento da colheita muito semelhante ao ano passado. “A safra de cana termina dentro de 30 e 45 dias em toda a região Centro-Sul e com isso, há uma tendência natural dos postos elevarem o preço do etanol nas bombas de combustível em todo o Brasil”, explica Santos.

 

Chuvas também beneficiam a próxima safra

Apesar das chuvas paralisarem parcialmente os trabalhos de colheita da cana-de-açúcar, elas também tem beneficiado o desenvolvimento dos canaviais que serão colhidos na safra de 2016.

 

Clique aqui e confira a previsão do tempo na sua cidade.

 

 

Veja as imagens de satélite em tempo real

Safra de grãos começa com clima adverso no Brasil