Chuvas beneficiam lavouras de soja no Centro-Norte

Produtores devem ficar atentos à proliferação da ferrugem

As chuvas dos últimos dias beneficiaram as lavouras no Centro-Norte do país, sendo que os volumes acumulados ficaram em torno dos 130mm em algumas áreas de Mato Grosso, por conta das instabilidades causadas pela Alta da Bolívia, que causa temporais nos meses de primavera e verão.

Foto: Banco de Imagem Somar Meteorologia

Foto: Banco de Imagem Somar Meteorologia

Além disso, as temperaturas máximas ficaram por volta dos 30ºC, o que permitiu uma boa disponibilidade hídrica. A exceção ficou por conta do Mato Grosso do Sul, que recebeu poucas precipitações.

Apesar das boas condições para a soja, o agrometeorologista Leandro Calve, da Somar Meteorologia, faz um alerta de que “a alta umidade associada às altas temperaturas favorecem a proliferação da ferrugem. Os relatos são poucos, mas o produtor deve manter em dia seus tratos fitossanitários por conta do alto risco”.

O plantio da soja foi finalizado em praticamente todo o Centro-Oeste do país, restando apenas poucas áreas produtoras de Goiás. E em relação ao MATOPIBA, área agrícola que abrange parte dos Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, os produtores baianos estão em fase de finalização do plantio e os do Piauí seguem os trabalhos para aproveitar as condições de umidade do solo.

De acordo com a Somar Meteorologia, a previsão é de chuva volumosa no Mato Grosso, especialmente no centro-norte do Estado o que favorece o bom desenvolvimento e enchimento de grãos, enquanto que nas outras áreas, ela vem de forma pontual e com baixo volume acumulado. “A chuva também será mais significativa no MATOPIBA, entre o norte do Tocantins e sul do Maranhão. Já as outras áreas terão um período mais seco e com isso, o baixo volume de chuva e o calor podem provocar perda de potencial nas culturas em florescimento e início de enchimento de grãos, principalmente no leste do Tocantins e oeste da Bahia”, finaliza Calve.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

 

 

Como será o verão?

Meteorologista volta a apontar possibilidade de La Niña