Chuva favorece plantio da soja na faixa central do país

Apesar de as plantações serem beneficiadas, transporte de carga pode ser afetado por vias interditadas em decorrência da chuva

Dezembro começou com notícias otimistas para a agricultura. A virada do mês foi marcada por chuvas volumosas, que aumentaram significativamente a umidade do solo principalmente na faixa central do país, beneficiando as últimas etapas do plantio da soja na região. Apesar disso, o excesso de precipitações pode afetar negativamente o desenvolvimento e transporte das culturas.

field-thunderstorm-rainy-meadow

Chuva pode afetar transporte de carga/ Fonte: Pexels

De acordo com o agrometeorologista Leandro Calve, da Somar Meteorologia, o plantio que começou mais tarde em Mato Grosso devido ao déficit hídrico no fim do vazio sanitário, está em fase de conclusão,  as lavouras começam a se desenvolver com umidade do solo chegando a 70%, assim como em Mato Grosso do Sul.

“No Paraná, as chuvas estão ocorrendo com menor frequência se comparado a novembro. No entanto, o plantio está praticamente encerrado e algumas lavouras já estão até mesmo na fase de enchimento de grãos, e apesar das estiagens pontuais, a umidade do solo ainda é considerada suficiente para o desenvolvimento das lavouras”, afirma Calve.

No MATOPIBA, área agrícola que abrange os Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, as precipitações também perderam força no final de novembro, mas voltam a beneficiar o plantio neste final de semana. “As chuvas voltam a se tornar mais abrangentes e frequentes na medida em que avançamos para a segunda quinzena de dezembro, no entanto, é o excesso de precipitações que pode prejudicar as culturas na segunda metade do mês na região”, comenta o meteorologista da Somar, Celso Oliveira.

Além do desenvolvimento das plantas, o excesso de chuva deve preocupar também o setor de transportes de carga. No início da semana, a BR-116 que liga o Rio Grande do Sul ao porto de Ceará, atravessando toda a região Sul, Sudeste e Nordeste, foi completamente interditada na altura de Muriaé, região da Zona da Mata em Minas Gerais, após o desmoronamento de um barranco em decorrência dos fortes temporais que atingiram o Estado mineiro entre o domingo (03) e a segunda-feira (04).

De acordo com o DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), a via deve ser liberada parcialmente a partir deste fim de semana. O desvio para veículos leves passa pelas cidades de Miraí e Cataguases, que não suportam veículos pesados, portanto o transporte de carga deve ser feito pela BR-356 até Itaperuna, seguida da BR-393 até o município Além Paraíba, onde é possível o acesso à BR-116.

AGROSOMAR

No AGROSOMAR, plataforma online destinada ao agronegócio, o agricultor tem as previsões de curto e longo prazo, além de conferir a tendência das próximas três estações e poder compará-las com as informações dos últimos nove meses.

Dentro da ferramenta, o produtor também obtém informações das culturas de seu interesse  e pode fazer o acompanhamento da sua lavoura com a funcionalidade de gerenciamento de safra que permite inserir informações como data de plantio, produtividade potencial e tipo de solo.

Os assinantes do Agrosomar também contam com o calendário fitossanitário, que sinaliza risco de doenças para culturas e com a função de precipitação acumulativa, que permite ver o acumulado de chuva desde a data do plantio até a data  atual.

E ainda tem a penalização de produtividade, que possibilita ao agricultor saber quanto o clima está impactando na produção da sua safra.

 

Para saber mais acesse www.agrosomar.com.br.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

Oscilação nas temperaturas aumenta o risco de doenças

Como a meteorologia é influenciada pela astronomia?