" }
Arroz pode ser prejudicado por excesso de chuva no Sul

Plantações no oeste e sul do estado gaúcho devem ser afetadas

As principais áreas de cultivo de arroz no Rio Grande do Sul passaram por dificuldades no início da fase de plantio por conta das chuvas excessivas que atingiram a região em outubro, mas o mês de dezembro começou marcado pela falta de chuva e declínio na umidade do solo principalmente no oeste e sul do Estado. De acordo com a Somar Meteorologia, as precipitações devem voltar na segunda quinzena do mês, mas podem causar novos transtornos para os agricultores.

água solo - excesso

Excesso de chuva pode prejudicar lavouras de arroz/ Fonte: Banco de imagens da Somar Meteorologia

A formação de uma frente fria no extremo sul do país deve provocar chuvas volumosas a partir do domingo (18) em grande parte do Estado gaúcho e segundo a meteorologista da Somar, Nadiara Pereira, as áreas que fazem fronteira com o Uruguai e que são responsáveis pelas principais lavouras de arroz, podem ser prejudicadas por precipitações persistentes.

No entanto, um bloqueio atmosférico deve impedir o avanço da chuva para o restante da região e “o centro do Estado que também é conhecido por ser uma importante área de plantio, deve receber um volume menor de chuva até o final de dezembro e, portanto não deve ter prejuízos”, comenta a meteorologista.

De acordo com a especialista, outro fator que pode afetar as produções é a falta de luminosidade. “O tempo fica fechado por mais tempo, e a baixa incidência de luz solar prejudica no desenvolvimento das plantações”.

Verão será de chuvas irregulares

Em janeiro, o padrão de chuvas volta a mudar no Sul do país. “De uma maneira geral, o verão deve ser marcado por um aumento na irregularidade das chuvas, e as precipitações podem ficar abaixo da média em algumas áreas, o que também pode causar danos nas lavouras”, comenta Nadiara.

Apesar disso, a meteorologista ressalta que serão problemas pontuais. “As fazendas não devem enfrentar nenhuma seca severa, mas estiagens regionalizadas podem acontecer até a fase de colheita”.

Pastagens serão beneficiadas

Além do arroz, a região também é uma das principais produtoras de gado, e se por um lado as chuvas podem atrapalhar os trabalhos de campo, por outro deve beneficiar as pastagens localizadas nestas áreas.

“Os pastos vinham sofrendo com esse declínio na umidade do solo que ocorreu no início de dezembro, mas poderão se recuperar com essas pancadas fortes e volumosas de chuva que estão previstas para a próxima semana, o que deve auxiliar na produção”, finaliza Nadiara.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

Como será o verão?

O que significa chuva em pontos isolados?

Como se mede o volume da chuva?