Sensação térmica: Você sabe o que é?

Entenda como os meteorologistas descobrem a temperatura do ar e a sensação térmica

Muitas vezes quando informamos a temperatura de um determinado local, muitos se questionam: “será que o valor está correto? Está mais frio do que isso!”. Em muitas ocasiões desconfiamos do valor dos termômetros, pois não conseguimos ligar o número apresentado ao que estamos sentindo. Percebemos as temperaturas e o ambiente de forma única, mas a meteorologia consegue aproximar o valor real do termômetro a algo mais parecido com o que estamos vivenciando: a sensação térmica. Vamos tentar, nesta matéria, esclarecer um pouco mais este assunto.

Frio termometro

Fonte: Banco de Imagem Somar Meteorologia

TEMPERATURA DO AR 

Em primeiro lugar, vamos falar sobre como as temperaturas são registradas. Há uma regulamentação internacional da OMM (Organização Meteorológica Mundial), órgão ligado à Organização das Nações Unidas que nos diz como um termômetro meteorológico deve ser instalado, lido e aferido. Essas normas têm de ser cumpridas no mundo inteiro, de forma que possamos comparar os valores um com o outro.

Há dois tipos de instalação de termômetros: uma convencional, que necessita da leitura de um profissional da área, e um automático. O termômetro de estação convencional é um conjunto de aparelhos bem parecidos com aqueles termômetros caseiros de medir a febre: um tubo de vidro com alguma substância que percorre uma escala, dependendo da temperatura.

Normalmente há um termômetro regulado para a temperatura mínima, que é bem sensível, outro para a temperatura máxima e outros dois destinados a registrar a temperatura do ar seco e do ar úmido. Nesta instalação, há mais regras cumpridas como a altura em relação ao solo, a obrigatoriedade de proteger o conjunto da chuva e do sol direto, mas que libere a passagem do vento. Ainda, um observador meteorológico faz a leitura pessoalmente, em horários determinados e transmite a informação para os órgãos competentes.

A outra instalação, a automática é feita com sensores modernos. Uma única caixa de sensores bem protegidos consegue aferir a variação da temperatura praticamente durante 24 horas por dia e normalmente a distribuição destas informações para os institutos de meteorologia é bastante rápida. 

Com todos estes cuidados, podemos estudar e comparar as temperaturas reais registradas.

 

SENSAÇÃO TÉRMICA 

A sensação térmica é um cálculo complexo da temperatura mais próxima do que sentimos na pele, baseado no próprio valor da temperatura do ar e também nos valores de umidade relativa e/ou da intensidade do vento. Você pode relembrar o que o meteorologista Celso Oliveira explicou sobre a umidade relativa do ar, clicando aqui.

Na prática, este cálculo nos informa um número de temperatura mais próximo do real. Além disso, existem diversas fórmulas matemáticas, levando em consideração somente o vento, ou somente a umidade, entre outros.

A fórmula mais utilizada é convertida em uma tabela (abaixo), e leva somente em consideração a informação do vento (índice de resfriamento). Vamos imaginar que a temperatura real do termômetro é 10ºC e o vento de 30km/h. Nesta tabela, podemos notar que a sensação térmica nesta situação pode chegar a zero grau, que está marcado em amarelo.

sensação térmica

Tabela de sensação térmica baseada em temperatura e vento. Fonte: INMET

Quando o vento fica mais forte, é fácil imaginar que ele vai nos refrescar num dia quente ou então nos congelar em dias frios. Mas e quando temos vento fraco e a umidade alta? Esta tabela já não contempla essa parte. Assim, utiliza-se uma fórmula complementar chamada de índice de calor. Vamos ver um exemplo:

Temperatura real: 34ºC

Vento: 12km/h

Umidade relativa: 66%

Sensação térmica calculada: 44,8ºC

 

Com certeza a pessoa que está sob o sol a pino nesta situação está percebendo muito mais os 44,8ºC do que os 34ºC. E temos que considerar também as reações pessoais de cada um com o meio ambiente. Alguns suportam mais o frio e outros mais o calor. Assim, este número mesmo que reflita numa percepção melhor, nunca representará o mesmo para todas as pessoas.

 

TERMÔMETRO DE RUA

Aqui temos que fazer uma consideração com os termômetros de rua ou termômetros meteorológicos caseiros. Na maioria das vezes, os sensores que compõem estes instrumentos ficam totalmente expostos ao sol e à chuva, e podem receber calor do asfalto ou de uma parede. Nesta situação, os materiais que ficam à mercê das condições atmosféricas acabam por exagerar na temperatura. É muito comum recebermos relatos de que o termômetro que a pessoa comprou ou que viu na rua marca 42ºC, mas que reportamos apenas 33ºC, por exemplo. Mas não podemos fazer esta comparação direta, já que tais termômetros não seguem a regulamentação da OMM. O que podemos dizer é que estes aparelhos mostram algo mais próximo à sensação térmica.

 

Patricia VieiraPatricia Vieira é técnica em meteorologia pela FVE-UNIVAP com especialização em radar meteorológico e monitoramento de tempo severo. Desde 1999 é colaboradora da Somar Meteorologia e atua com treinamentos, estágios, palestras e faz parte do grupo de apresentadores de previsão do tempo para televisão e web.

 

 

Clique aqui e confira a previsão do tempo na sua cidade.

 

VEJA MAIS

Veja as imagens de satélite em tempo real

Frio: Saiba como conservar melhor as roupas