Tendência climática de agosto para todo o Brasil

Veja como foi julho e confira a tendência de clima, chuva e temperatura para o mês de agosto região por região do Brasil

O mês de julho foi bastante típico da estação no país, com chuvas concentradas nos extremos Sul e Norte do Brasil. A chuva mais significativa ocorreu em Roraima, com mais de 350mm acumulados. No Rio Grande do Sul a chuva foi frequente no leste e sul do estado, chegando a gerar acumulados acima da média do mês. Exceto algumas chuvas isoladas no litoral brasileiro, a maior parte do Brasil teve um mês de julho bastante seco.

No interior do País o que predominou foi uma grande massa de ar mais seco. Isso aconteceu por conta da atuação de um bloqueio atmosférico que fez com que as frentes frias não conseguissem avançar pelo Brasil central. Como resultado tivemos então menos chuva do que o normal entre Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Além disso, houve influência direta nas temperaturas. A temperatura mínima ficou acima da média no Sul e parte do Sudeste, mas o céu limpo na madrugada resultou em temperaturas mais baixas do que o normal pela manhã entre Centro-Oeste, Tocantins e interior da Bahia. O frio até foi frequente no Rio Grande do Sul, com episódios de geada, mas sem valores extremos. Já durante as tardes o efeito do calor foi mais sentido. Fez calor excessivo em Mato Grosso do Sul, maior parte do Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro e interior da Paraíba.

Como será o clima durante o mês de agosto?

Agosto é um dos meses mais secos do ano no interior do Brasil. Modelos de previsão do tempo mostram chuva acima do normal no Sul, litoral de São Paulo, Rio de Janeiro e sul de Mato Grosso do Sul, e chuva abaixo do normal no litoral leste do Nordeste. No Sul, a chuva fica concentrada nos primeiros dez dias e no final do mês.

Com relação às temperaturas, há a entrada de uma onda de frio mais significativa no final do primeiro decêndio de agosto, atingindo a Região Sul e Mato Grosso do Sul, e outras duas no fim do mês, que avançam por Santa Catarina e parte do Paraná. De forma geral, agosto terá temperaturas em média 1 a 2ºC mais baixas do que o normal nestas áreas.

Já a falta de chuva e a situação de bloqueio indicam que numa faixa que vai de Rondônia ao Sudeste, Tocantins, sul do Pará e interior do Nordeste terá temperaturas acima da média para o mês.

Sul

Agosto com chuva frequente e volumosa no Rio Grande do Sul

Para agosto, há expectativa de chuvas frequentes e volumosas no Sul, sendo que o norte e leste do Rio Grande do Sul e também sul e leste de Santa Catarina receberão acumulados acima do normal, com desvios de até 100mm acima da média para o mês. A chuva vem em pelo menos três episódios duradouros, com a última semana do mês mais seca. Por outro lado, os extremos norte do Paraná e sul gaúcho terão chuva abaixo da média.

Frio mais intenso que o normal

Há previsão de três ondas de frio que atingem principalmente o Rio Grande do Sul no final do primeiro decêndio e outras duas no início e no fim do segundo decêndio do mês, que avançam um pouco mais para Santa Catarina e o Paraná. Especialmente no estado gaúcho, o frio fica mais intenso do que o normal e não se descartam episódios de geadas, que precisam ser monitoradas.

Saiba mais!

Finalmente, em setembro, com o Pacífico mais aquecido, a chuva se tornará intensa e frequente em boa parte dos três Estados. Estimam-se pelo menos 200mm desde o oeste do Rio Grande do Sul até o centro de Santa Catarina. No Paraná, as primeiras chuvas de setembro ainda vem de forma muito irregular e em poucos episódios, além de não serem suficientes para elevar a umidade do solo. Mesmo que volte a chover, há risco ainda de períodos prologados de estiagem após as primeiras precipitações no Paraná.

Sudeste

Tempo mais seco traz calor acima da média em agosto

As projeções indicam um mês de pouca chuva no Sudeste durante o mês de agosto, mas sem ausência total. Há dois pulsos mais favoráveis na primeira e última semana, sendo que a chuva da última semana parece ser a mais abrangente. Apenas locais mais próximos do litoral paulista e fluminense é que terão chuva mais frequente e que podem ter alguns desvios positivos. Já entre o norte paulista e oeste e norte mineiro, o mês de agosto ainda segue seco, algo que preocupa com relação ao aumento do número de queimadas. As temperaturas no geral ficam acima do normal para agosto.

Saiba mais!

Em setembro, novamente espera-se chuva próxima da média com vieses positivos. Tratam-se de frentes frias que avançam pelo litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro levando chuva forte para áreas mais próximas da costa dos dois Estados, além de algumas áreas do sul de Minas Gerais.  Mas atenção, pois a chuva de agosto e de setembro não representam um retorno precoce da chuva no Brasil. Já o trimestre outubro/novembro/dezembro terá chuvas mais bem distribuídas e de maneira mais frequente no Sudeste.

Centro-Oeste

Agosto com padrão dentro da média para o Centro-Oeste

A expectativa é de chuva acima do normal apenas no extremo sul de Mato Grosso do Sul, com padrão de precipitação dentro da média para os demais estados. Isso significa que o mês de agosto segue com pouca ou nenhuma chuva entre Goiás e Mato Grosso. Este padrão também indica que a umidade relativa do ar segue baixa e, assim, a condição que favorece novos focos de queimadas prevalece.

Saiba mais!

Em setembro, novamente espera-se chuva próxima da média, mas desta vez com vieses positivos. Tratam-se de frentes frias que avançam pela Região levando pancadas de chuva especialmente ao Mato Grosso do Sul, Goiás e oeste de Mato Grosso.

Nordeste

Agosto com chuva abaixo da média no litoral leste

Agosto e setembro não são meses com muita chuva no Nordeste, tanto que o acumulado diminui e a chuva oscila com períodos de tempo seco. Em agosto, a chuva será mais frequente na primeira quinzena entre Sergipe e o Rio Grande do Norte e na segunda quinzena sobre a Bahia. Mesmo assim, se espera acumulado abaixo do normal na faixa litorânea do leste nordestino. Ao longo do mês a chuva é mais frequente e com acumulados ligeiramente acima do normal no litoral do Maranhão.

Saiba mais!

Em setembro, o tempo ficará seco na maior parte dos Estados, com exceção de trovoadas que acontecerão sobre o sul da Bahia no fim do mês. Com relação à temperatura, chama-se a atenção para temperaturas mais baixas no fim da estação na Bahia, Sergipe e no sul do Maranhão e do Piauí. Trata-se de uma situação já vista no ano passado em função do oceano Atlântico mais frio que o normal. Este tipo de onda de frio acontece pela temperatura do ar resfriada pelo oceano e que é levada pelos ventos alísios para o interior do país. Por outro lado, o calor ficará acima da média entre o norte do Piauí e do Maranhão.

Norte

Chuva em agosto se concentra no oeste da Região

Em agosto, a chuva se concentra entre o oeste e o centro da Região, levando precipitações acima da média desde o Tocantins até parte do Acre, passando pelo oeste e centro do Amazonas. Em outras áreas, o padrão atmosférico será mais próximo do normal, ou seja, com pouca chuva.

Saiba mais! 

Em setembro, se espera chuvas dentro do normal para o Norte. As primeiras frentes frias que se conectam com a umidade da Amazônia voltam a levar chuva para o sul do Amazonas e em Rondônia. Ao mesmo tempo, funciona a condição tropical, que leva pancadas de chuva isoladas a áreas mais a leste. O trimestre outubro/novembro/dezembro tem chuva acima da média entre Acre, Rondônia e o sul do Tocantins. Nas demais áreas, deve chover abaixo do normal.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.