Previsão de maio para todas as regiões do Brasil

Abril termina com tempo mais seco no Sul e chuva volumosa sobre o Centro-Norte do Brasil. E o mês de maio, como será? Confira Região por Região!

Maio está começando e todo mundo quer saber como fica o tempo. Vão ocorrer ondas de frio? E a chuva?

Confira a tendência de temperatura, chuva e tempo seco feita pelo meteorologista Celso Oliveira para todas as regiões do Brasil:

SUL

Frentes frias avançam com maior frequência

A falta de chuva em abril na região Sul foi uma consequência do La Niña e a posição das frentes frias mais ao sul entre o Uruguai e Argentina. Maio promete ser mais chuvoso, apesar da manutenção do fenômeno, a aproximação do inverno fará com que as ondas de frio e as frentes frias chuvosas comecem avançar frequentemente pela região.

A previsão é de que um segundo episódio de chuva acontece na segunda quinzena do mês especialmente sobre Paraná, oeste de Santa Catarina e noroeste do Rio Grande do Sul.

A precipitação da primeira quinzena será mais intensa que a da segunda. Tanto que o acumulado projetado até o dia 15 de maio passa dos 70mm entre o sul do Paraná e o Rio Grande do Sul, mas não alcança 50mm entre os dias 16 e 31 na maior parte da Região.

Para os próximos meses, a chuva segue de forma constante sobre a Região, como é normal para esta época do ano. Mas enquanto o Pacífico permanecer frio, apesar de frequente, a chuva não será extremamente volumosa.

Vão ocorrer geadas?

Junto com a chuva, espera-se o declínio da temperatura. Aumenta-se o risco de geadas especialmente em meados de maio sobretudo para regiões mais elevadas, como as Serras Gaúcha e Catarinense e Planalto dos três Estados.

Também não há expectativa para muitas ondas de frio. Até julho, aparecem quedas mais acentuadas na virada de maio para junho e na primeira quinzena de julho. A tendência é de que o outono e parte do inverno tenham quedas mais significativas na temperatura máxima em função da chuva e baixa insolação que muitas madrugadas geladas.

SUDESTE

Chuva aumenta em São Paulo

Abril termina com chuva abaixo da média em São Paulo e no centro e sul de Minas Gerais. Por outro lado, o litoral de São Paulo e o Espírito Santo receberam maiores volumes que o normal. O mês também foi mais quente em São Paulo, mas registrou tardes mais frias que a média em Minas Gerais e Espírito Santo.

Maio apresenta uma mudança comum para época do ano. Enquanto que áreas do norte registrarão chuva mais fraca, São Paulo pode receber acumulados mais significativos que no mês anterior. Isto acontece mais pelo outono do que pela presença de fenômenos climáticos, como o La Niña.

A simulação americana CFSv2 mais recente indica que além de São Paulo, também há previsão de chuva acima da média em áreas do sul e oeste de Minas Gerais, enquanto que Rio de Janeiro e Espírito Santo registrarão acumulados mais próximos da média histórica.

Assim como em abril, alerta-se para pelo menos um evento extremo de chuva no litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro. Além disso, no interior de São Paulo e no sul e oeste de Minas Gerais, as primeiras chuvas virão acompanhadas de rajadas de vento.

Oeste e norte de Minas Gerais com temperatura abaixo da média

Em São Paulo, o calor de abril dará lugar a temperaturas mais baixas em São Paulo. Não há previsão de grandes desvios de temperatura no Rio de Janeiro e Espírito Santo, enquanto que o oeste e norte de Minas Gerais registrarão temperatura um pouco abaixo da média.

Algumas ondas de frio serão mais intensas, chegando a partir da segunda quinzena e trazendo as primeiras geadas para áreas elevadas do Rio de Janeiro, São Paulo e Mato Grosso do Sul. Por enquanto, o frio não será intenso em áreas produtoras, mas esta informação exigirá monitoramento frequente.

CENTRO-OESTE

Chuva acima da média no sudoeste de Goiás

Abril termina com chuva abaixo da média no sul e leste de Mato Grosso do Sul, porém acima da média em Brasília, Goiânia e centro e norte de Mato Grosso. O mês também termina como mais quente que o normal em Mato Grosso do Sul, mas com tardes mais frias que o normal em Goiás, Mato Grosso e Distrito Federal.

Maio apresenta uma mudança comum para época do ano. Enquanto que áreas do norte devem registrar chuva mais fraca, Mato Grosso do Sul recebe acumulados mais significativos que no mês anterior. Isto acontece mais pelo outono que pela presença de fenômenos climáticos, como o La Niña.

A simulação americana CFSv2 mais recente indica que além de Mato Grosso do Sul, também há previsão de chuva acima da média em áreas do sul de Mato Grosso do Sul e sudoeste de Goiás, enquanto que no Distrito Federal e norte dos Estados de Goiás e de Mato Grosso, a precipitação fica próxima da média histórica.

Em função do atual e prolongado período de tempo seco, é comum que as primeiras precipitações venham acompanhadas de rajadas de vento.

Frio em Mato Grosso do Sul

O calor de abril dará lugar à temperaturas mais baixas em Mato Grosso do Sul. Os termômetros ficam mais baixos que o normal no sul de Mato Grosso do Sul, Goiás e Distrito Federal.

Embora simulações ainda não mostrem, nada impede a queda mais acentuada de temperatura e formação de geadas especialmente no sul de Mato Grosso do Sul na segunda quinzena de maio. Trata-se de uma previsão que deve ser monitorada nas próximas semanas

NORDESTE

Litoral continua com chuva

Abril termina com saldo positivo na chuva do Nordeste. Boa parte da região recebeu precipitação acima da média com temporais em Maceió, Recife e João Pessoa, além do interior dos Estados do Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e Maranhão.

Para maio, apesar do fenômeno La Niña cada vez mais fraco, ele ainda será influente o suficiente para trazer chuva acima da média para a costa norte da região, desde o Rio Grande do Norte até o Maranhão.

Por outro lado, a chuva deve acontecer, porém de forma mais fraca que o normal no litoral e Zona da Mata da Paraíba, Pernambuco, Alagoas e Sergipe. Na Bahia, a precipitação fica próxima da média, o que significa chuva frequente no Litoral e Zona da Mata e tempo seco no oeste do Estado.

Temperaturas ficam próximas da média

Além disso, o calor não foi intenso. Somente algumas poucas microrregiões da Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco e Paraíba tiveram tardes mais quentes que o normal. Em maio, o calor aumenta no Maranhão, mas a temperatura permanece próxima da média na maior parte da região Nordeste.

NORTE

Chuva migra para o norte da Região 

Abril termina com chuva acima da média e temperatura abaixo do normal em boa parte da região Norte em função do fenômeno La Niña. Somente Roraima termina o período com acumulados mais baixos e temperaturas elevadas, algo normal para o período.

Em maio, a chuva naturalmente migra do sul para o norte da Região, ou seja, ela enfraquece em Tocantins, Rondônia e Acre, e aumenta sobre Roraima e permanece elevada no Amazonas, Pará e Amapá.

Calor acima do normal no Amazonas 

Apesar da entrada de uma eventual onda de frio no sul de Rondônia, boa parte da Região Norte terá calor acima da média em Tocantins, Pará, Amazonas, Acre e Roraima. A temperatura permanece mais baixa que o normal em Rondônia, mas a maior parte da região deve ser mais quente especialmente em junho.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.