O que esperar do tempo em agosto?

Ondas de frio atingem o país, mas com menos intensidade e alternando com dias quentes

O mês de julho encerra com tempo firme no interior do Brasil, mas segundo a Somar Meteorologia, a frequência de chuvas deve retornar com a entrada de agosto.

Ondas de frio devem ser espaçadas e menos intensas que as de julho / Fonte: VisualHunt

Ondas de frio devem ser espaçadas e menos intensas que as de julho / Fonte: VisualHunt

A previsão é de enfraquecimento do bloqueio atmosférico que tem impedido a precipitação no Centro-Sul do país nos últimos dias, o que favorece um agosto com volumes acima da média para os três Estados do Sul, principalmente no sul gaúcho e leste catarinense. Além disso, uma onda de frio é esperada já na primeira semana do mês e outra durante a segunda quinzena, porém com pouca intensidade em comparação com a forte onda de frio registrada em julho.

As chuvas não devem alcançar com intensidade áreas da região Centro-Oeste e interior paulista. “A umidade da Amazônia não se conecta com essas áreas e isso dificulta a chegada de chuvas nessas localidades”, comenta a técnica em meteorologia Patrícia Vieira. Os acumulados que atingem o Estado paulista ficam concentrados no litoral, Vale do Ribeira e Região Metropolitana e, no Centro-Oeste, no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. No Estado sul-mato-grossense há queda de temperatura na metade sul durante a primeira semana do mês.

No Sudeste, o mês de agosto costuma ser de tempo seco, portanto as chuvas previstas devem ficar acima da média. A precipitação ocorre a partir do segundo decêndio do mês e os maiores registros são esperados nos Estados paulista e fluminense. “Os episódios de chuva devem ser mais frequentes no mês de agosto do que em julho na região, e isso deve ajudar a manutenção do nível dos reservatórios e melhorar a qualidade do ar”, afirma a técnica. A expectativa é de temperaturas abaixo da média para o Sudeste e o frio sem extremos deve chegar ao sul mineiro no fim da primeira quinzena e na última semana do mês.

Já no Nordeste, a tendência é de diminuição das chuvas. “A frequência de chuva continua no leste nordestino, mas tende a reduzir quando as chuvas retornarem à região Sul”, afirma Vieira. Na faixa litorânea, as temperaturas ficam próximas à média e acima do normal entre o Ceará e o Maranhão.

As chuvas ficam acima da média na faixa norte da região Norte, com destaque para os Estados do Amapá, Roraima, Amazonas e Pará. Na região da Amazônia, as temperaturas ultrapassam a média neste mês de agosto e, junto com o tempo seco em algumas áreas, aumenta a chance de queimadas. Entre o Acre e Rondônia, há previsão de friagem durante a segunda quinzena do mês.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

Tempo seco no Sudeste prejudica a qualidade do ar

Baixa umidade relativa do ar pode prejudicar a visão