Índice de queimadas cresce em junho

Apesar do aumento no número de queimadas durante o primeiro mês do inverno, índice total de 2017 continua menor comparado a 2016

O inverno começou com um aumento significativo no número de focos de incêndio registrados pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). De acordo com o instituto, foram 6.849 queimadas nos últimos 27 dias, a maior quantidade registrada em um mês de junho desde 2011.

wildfire-1105209_1280

Número de queimadas aumenta em Junho/ Fonte: Banco de imagens da Somar Meteorologia

Segundo o relatório, o local que concentra o maior número de ocorrências é o Mato Grosso, onde os 1.929 focos registrados durante o mês, superam em 54%, os 1.233 focos de junho de 2016, sendo também a maior quantidade de incêndios dos últimos seis anos.

Apesar disto, o relatório do Inpe aponta que o total de 17.049 queimadas registradas entre janeiro e junho deste ano, é 32% menor comparado aos 26.512 focos que ocorreram no primeiro semestre de 2016. “Isto porque o período úmido deste ano foi mais duradouro, no entanto, o inverno também deve apresentar condições bastante diferentes do ano passado”, explica o meteorologista Celso Oliveira, da Somar Meteorologia.

O inverno começou marcado pelo recesso das chuvas no interior do país, o que propicia o aumento no número de queimadas. “Enquanto isso, rajadas de vento intensas passam pela região e ajudam o fogo a se espelhar, provocando novos focos”.

De acordo com o especialista, períodos de chuva volumosa ainda são previstos para os próximos meses, “mas as precipitações ocorrem de forma rápida e menos frequente em comparação ao início do ano. Em julho, os maiores volumes são esperados na segunda semana do mês, mas as demais semanas já devem ter predominância de tempo firme”, finaliza.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

 

Umidade relativa do ar despenca no Centro-Oeste

Como será o inverno sem o El Niño?

Como é medida a velocidade do vento?