Furacão Irma chega a categoria 5 nesta terça-feira (05)

Com ventos de 280km/h, fenômeno deixa Flórida, Porto Rico e Caribe em estado de alerta

O furacão Irma que se formou no último dia 30 de agosto a oeste de Cabo Verde como tempestade tropical, foi elevado nesta terça-feira (05) a categoria máxima na escala Saffir-Simpson de furacões que vai de 1 a 5. De acordo com o Centro Nacional de Furacões dos EUA, a tempestade está se intensificando cada vez mais, e já foram registrados ventos de até 360km/h.

Furacão Irma atinge o Caribe na manhã da quarta-feira (06)/ Fonte: Satélite GOES – 13

Nesta quarta-feira (06), o fenômeno chegou ao Caribe e tocou terra às 2h da manhã em Barbuda e Antígua, mas causou menos danos que o esperado. O olho do furacão passou pela Ilha de Barbuda, a leste de Porto Rico durante a manhã com ventos de 295km/h, e segundo o órgão, deve passar pelo Haiti e Bahamas ainda na quarta-feira, chegando ao sul dos Estados Unidos até o sábado (09) com maior impacto na região de Flórida e Flórida Keys.

Há duas semanas, áreas próximas foram devastadas pela tempestade Harvey, que atingiu o Texas com ventos de até 250km/h, classificado na categoria 4 na escala Saffir-Simpson. As chuvas torrenciais provocaram inundações, destruíram milhares de casas e deixaram ao menos um milhão de pessoas desabrigadas.

De acordo com a Somar Meteorologia, o aquecimento das águas dos oceanos Atlântico e Pacífico, nesta época de verão no hemisfério norte, favorecem a formação de fenômenos como as tempestades e os furacões. “Com esta intensidade o Irma pode se tornar o evento mais devastador formado no Atlântico desde o Joaquim, furacão na categoria 4 que atingiu as Bahamas em 2015”, relembra a técnica em meteorologia da Somar, Patricia Vieira.

 

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

Como será setembro?

Energia: Bandeira amarela volta a vigorar no país em setembro