Chuva deixa cidades mineiras em situação de emergência

Acumulados passam dos 200mm nos primeiros cinco dias do mês em Belo Horizonte. Região está em alerta laranja, com inundações e deslizamentos

Os temporais que atingiram o Estado de Minas Gerais nos últimos dias deixaram pelo menos seis cidades em situação de emergência até a manhã desta terça-feira (05), cinco mortes foram confirmadas e cinco pessoas estão desaparecidas. De acordo com o INMET (Instituto Nacional de Meteorologia), a região metropolitana de Belo Horizonte recebeu mais de 200mm de chuva nos primeiros cinco dias de dezembro, o equivalente à 63% da média, que é de 319mm, sendo que 93mm foram registrados nesta segunda-feira (04).

Instabilidades ainda devem provocar pancadas de chuva desde o interior do Estado mineiro até o Espírito Santo nesta terça-feira (05). “O volume esperado é menor comparado aos últimos dias, no entanto, ainda pode agravar a situação nos locais onde houveram inundações, alagamentos e deslizamentos”, afirma o meteorologista Celso Oliveira, da Somar Meteorologia. A partir da quarta-feira (06), o risco de temporais aumenta, e consequentemente, a possibilidade de novas ocorrências.

“A chuva ainda atinge a região até a próxima semana, mas de maneira menos intensa. Os temporais mais significativos devem migrar de forma gradativa para a região do Cerrado, nas áreas mais próximas à Goiás e em seguida para as cidades mais ao norte de Minas Gerais, próximo ao Estado da Bahia”, afirma Oliveira.

As áreas do Vale Do Mucuri e Rio Doce, Jequitinhonha, Zona da Mata, norte, oeste e centro de Minas Gerais além da região metropolitana de Belo Horizonte ainda estão em alerta laranja, quando os efeitos do tempo ainda são intensos, mas não chegam a níveis excepcionais, ou alerta amarelo, quando o volume de chuva é menor, mas ainda há potencial para transtornos, segundo o INMET.

Com os temporais registrados desde a virada do mês, o número de mortos chegou a cinco no início desta semana, entre eles, uma idosa que estava acamada, morreu em Ribeirão das Neves, após a casa ser inundada pela chuva nesta segunda-feira e duas crianças que foram levadas por uma enxurrada em Urucânia.

Em Vespasiano, um homem foi levado pela correnteza, caiu em uma vala de esgoto e ainda está desaparecido, além dele, quatro pessoas também desapareceram ao serem levadas por enxurrada na Zona da Mata.

Na capital, pelo menos 67 famílias estão desabrigadas e uma linha férrea foi interditada em Contagem, após um desmoronamento. As cidades de Piedade de Ponte Nova, Rio Casca, Santo Antônio do Grama, Santa Cruz do Escalvado e Urucânia estão entre as mais afetadas. O ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, informou que aguarda informações sobre a real situação dos municípios mineiros para que o governo federal decrete situação de calamidade na região.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

Chuvas seguem intensas entre Minas Gerais e Espírito Santo

Dezembro mantém chuvas distribuídas pelo Brasil