" }
Mudanças na temperatura facilitam infecções

Queixas em consultórios aumentam durante oscilações nos termômetros. Saiba como se cuidar

Com as mudanças de temperatura em grande parte do país, as queixas por doenças respiratórias têm aumentado nesta primavera. Por conta das águas que estão mais frias no Pacífico Equatorial, a Somar Meteorologia estima que o calor nos próximos meses não seja tão persistente em relação aos últimos anos.

Foto: Banco de Imagem Somar Meteorologia

Foto: Banco de Imagem Somar Meteorologia

Só para se ter uma ideia, São Paulo registrou mínima de 17,6ºC no dia 17 de novembro e dois dias depois, a temperatura caiu para 12,2ºC, algo que não era visto em um mês de novembro desde 2011 na capital paulista. As informações são do INMET (Instituto Nacional de Meteorologia).

De acordo com o médico otorrinolaringologista Jamal Azzam, o ser humano é muito sensível às alterações bruscas de temperatura, que levam a alterações da defesa do sistema respiratório. “Existem variações de dilatação e constricção dos vasos sanguíneos e isto gera mudanças na irrigação do sangue do sistema respiratório, fazendo com que os vírus e bactérias entrem no corpo e levem a infecções”, explica.

Entre as queixas mais comuns atualmente, estão tosses, dores de garganta, gripes e resfriados, crises de asma e bronquite, sinusite e até casos de pneumonia. Além disso, o especialista alerta que as crianças menores de cinco anos e os idosos acima de 60 anos são ainda mais sensíveis às infecções em geral.

 

Como evitar as doenças?

O cuidado com a saúde é essencial para evitar as doenças respiratórias. Segundo Azzam, ingerir líquidos, se alimentar de forma balanceada seis vezes ao dia e descansar o corpo durante o sono estão entre as principais recomendações.

“Vale ressaltar que é preciso lembrar os idosos de beber água o dia todo, pois eles não têm um reflexo de sede tão apurado. Outra dica importante é o descanso não só do corpo, mas também da mente, pois o estresse em excesso diminui a imunidade”, recomenda. Mas caso a doença já esteja instalada, não deixe de procurar o médico para um tratamento eficaz.

 

Será que é verdade?

Com a proximidade do verão, os ditos populares em relação à saúde e ao tempo voltam à tona, mas elas são verdades ou apenas mito? O Dr. Jamal Azzam responde:

 

Se eu tomar algo gelado no calor dá dor de garganta?      

Sim. Quando o tempo está frio, não é recomendada a ingestão de sorvete ou gelados, pois as alterações de temperatura facilitam as infecções. Já no verão, não há problema desde que seja de forma pausada e com as crianças, deve ser intercalada com água.

 

Os choques térmicos ao entrar ou sair de um ambiente com ar condicionado, por exemplo, pode me deixar resfriado?

Verdade. As alterações fisiológicas podem facilitar e com isso, o ideal é que a mudança seja gradual e não de forma brusca.

 

Andar descalço no chão gelado me deixa doente? 

Sim, pois existe um reflexo neurológico que ao pisar em chão gelado faz entupir o nariz. Neste caso, pode ocorrer também a proliferação e infecção por vírus ou bactérias.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

 

Dengue: Clima afeta a proliferação do mosquito

Meteorologia volta a apontar possibilidade de La Niña