Frio: Casos de doenças respiratórias aumentam em 45%

População deve ter cuidado com a proliferação de doenças

O inverno começou no dia 20 de junho, às 19h34, mas muitos brasileiros já têm sentido os efeitos das temperaturas baixas na saúde antes do início da estação, tanto que o número de casos de doenças respiratórias aumentaram 45% desde a primeira onda de frio, no final do mês de abril.

Foto: Banco de Imagem Somar Meteorologia

Foto: Banco de Imagem Somar Meteorologia

A tendência é de que o inverno deste ano seja mais frio e seco do que os últimos dois anos em boa parte do país, conforme divulgado pela Somar Meteorologia.

De acordo com o otorrinolaringologista Jamal Azzam, as principais doenças nesta época do ano são gripe, resfriado, rinite alérgica, amidalite, sinusite, asma, bronquiolite, pneumonia, além da perigosa gripe H1N1. “Nos meus 30 anos de profissão nunca vi tantos casos de gripe como neste ano. Os sintomas estão exuberantes e as gripes que geralmente levam uma semana, agora têm durado até dois meses, dependendo dos casos”.

Entre os fatores conhecidos que fazem com que se tenha proliferação das doenças, como lugares fechados e o uso de ar condicionado, Dr. Azzam destaca o que pode ser facilmente evitado pela própria população. “Se cada um fizer sua parte e criar uma conscientização de que não se deve espirrar e tossir usando as mãos e depois tocar em superfícies, além de evitar colocar as mãos nos olhos, boca e nariz em locais públicos, certamente não teríamos um contagio tão grande assim”, alerta o profissional.

 

Dicas para evitar doenças no período seco

Além das recomendações acima do otorrinolaringologista, existem muitas outras importantes, como a de sempre tomar água. “Temos uma diminuição do reflexo da sede nos dias mais frios, o que é algo natural, mas se não tomamos o líquido, acabamos com um balanço hídrico negativo, que é responsável pelas nossas secreções e se estas ficam mais grossas, os vírus se proliferam com mais facilidade”, explica.

Confira mais algumas dicas para manter sua saúde em dia durante os períodos mais secos e frios:

- Evitar choques térmicos e ar condicionados;

- Ter uma alimentação balanceada para que o sistema imunológico funcione bem;

- Lavar sempre as mãos;

- Não compartilhar copos e talheres, pois a transmissão de vírus começa até dois dias antes de se sentir qualquer sintoma;

- Tomar cuidados com automedicações; 

- Lavar o nariz com soro fisiológico duas ou três vezes por dia;

- Evitar soar o nariz com forte intensidade para não aumentar as crises de otite;

- Evitar desgastes físicos em casos de gripe;

- Manter o repouso e dormir bem;

- Ir ao pronto socorro apenas em casos extremos para evitar a proliferação.

 

Alerta: Idosos e crianças podem ter sintomas diferentes

As principais queixas da população nesta época do ano costumam ser nariz entupido, dor de garganta, tosse, coriza e espirros, porém os idosos e crianças podem apresentar sintomas diferentes. “Estas duas fases são mais suscetíveis às infecções, no entanto, nem sempre tem as mesmas queixas do que o de costume. Por exemplo, um idoso de 80 anos pode estar apenas abatido, no entanto, ele pode apresentar quadro de pneumonia, o que é muito perigoso nesta idade”, finaliza Azzam.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

 

 

O que esperar do inverno?

O La Niña vem aí?