" }
Febre amarela: Como evitar a proliferação de mosquitos

Surto da doença, que pode ser transmitido pelo Aedes aegypti, ameaça a população

Que o Aedes aegypti é o transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya todo mundo sabe, mas o surto da febre amarela tem trazido preocupação por parte da população em relação ao mosquito. O Ministério da Saúde confirmou na última quarta-feira (15) 243 casos da doença no país com 82 mortes notificadas, sendo que a maior parte delas foi em Minas Gerais e Espírito Santo.

Aedes aegypti / Foto: Shutterstock

Aedes aegypti / Foto: Shutterstock

No entanto, os casos estão sendo apontados em regiões rurais e silvestres, transmitidos pelos mosquitos Sabethes e Haemagogus. Já o Aedes aegypti só transmite a doença em zonas urbanas, onde não há relatos até o momento.  

Como todo cuidado é pouco em se tratando de mosquitos, é importante lembrar que o calor e a chuva são uma combinação climática perfeita para a sua reprodução. “O verão funciona como um relógio biológico que faz com que eles passem da fase juvenil para a adulta e desse modo, podem sincronizar seus encontros no período de acasalamento”, explica o professor José Maurício Simões Bento, do Departamento de Entomologia e acarologia da USP (Universidade de São Paulo).

O país tem tido um verão menos intenso em relação aos últimos anos, por conta do Oceano Pacífico Equatorial passar atualmente por um enfraquecimento rápido do La Niña. De acordo com a Somar Meteorologia, a ausência do El Niño não diminui a incidência de mosquitos, inclusive do Aedes aegypti, devido às condições típicas da estação e assim, eles podem se reproduzir rapidamente, até mesmo em uma tampa de garrafa.

Para evitar a infestação dos mosquitos, recomenda-se não deixar água parada, a proteção de janelas e portas com telas e também a utilização de repelentes. Além disso, o uso de ventiladores e ar condicionado ajuda a manter o ar mais fresco e atrapalha o voo dos insetos.

 

O que é a febre amarela?

Conhecida como uma doença infecciosa febril aguda, a febre amarela é causada por um vírus transmissor e o período de incubação no homem varia entre três e seis dias, se estendendo para até 15 dias.  Além disso, tem maior frequência de dezembro a maio, segundo estudos do Ministério da Saúde.

A doença é transmitida apenas pela picada de mosquitos infectados com o vírus e os principais sintomas são febre súbita, calafrios, dor de cabeça, nas costas e no corpo em geral, além de náuseas, vômitos, fadiga e fraqueza. Já em casos mais graves, a pessoa pode ter febre alta, icterícia – cor amarelada na pele e no branco dos olhos, hemorragia e até choque e insuficiência múltipla de órgãos.

A melhor forma de combater a febre amarela é através da vacina. Para saber as cidades recomendadas para vacinação, conforme orientações do Ministério da Saúde, clique aqui.

 

Veja agora a previsão do tempo na sua cidade.

 

 

Chuva volta a se espalhar pelo país neste fim de semana

Como cuidar da pele no verão?